Como proteger seu filho da gripe nas escolas?

Sintomas da gripe
Publicado em: 13/06/2022 - 00:00:00
Imagem do post Como proteger seu filho da gripe nas escolas?

A cena é bastante comum: começa a semana de aula e, alguns dias depois, os narizes começam a escorrer, vem a tosse, dor de garganta, excesso de catarro e, assim, você percebe que, provavelmente, seu filho adquiriu a gripe nas escolas.

Os sintomas são clássicos, comuns da infecção das vias aéreas pelo chamado vírus influenza1. Esse conjunto de ocorrências forma uma das condições mais comuns que existem, principalmente por ser uma doença causada por um vírus altamente transmissível e mutável².

A transmissão do vírus da gripe pode ocorrer em qualquer lugar e, como veremos nesse artigo, a escola é um dos locais em que o contágio costuma ser alto. Por isso, veremos também de que forma você pode proteger seu filho dentro do ambiente escolar, a partir de medidas simples, mas que podem ser eficazes.

Como acontece a gripe nas escolas?

Ambientes fechados, aglomerados e pouco ventilados; menor higiene das mãos; utensílios e alimentos compartilhados, tudo combinado com o contato próximo com doentes e sintomáticos1. Eis o porquê da gripe nas escolas.

Repare: todos esses fatores são recorrentes em ambientes escolares. Afinal, as crianças costumam compartilhar objetos, conversam muito próximas umas das outras, se aglomeram e não estão lá tão preocupadas com a higienização.

Esses hábitos só facilitam a vida de um vírus altamente transmissível.  Não à toa, a estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que a Influenza acometa, a cada chamada epidemia sazonal, cerca de 20% a 30% das crianças no mundo, contra 5% a 10% entre os adultos.

Um fator que pode influenciar nesse número muito maior de incidência gripal em crianças, é justamente esse contato direto que ocorre entre os pequenos nas escolas todos os dias. Além disso, o vírus fica alojado por mais tempo em crianças, até 14 dias, 7 dias a mais do que nos adultos¹.

Para se ter uma ideia de como é grande o contágio de gripe nas escolas, é muito comum que em epidemias e pandemias, por exemplo, uma das medidas de proteção seja o fechamento das escolas.

Ainda, uma pesquisa francesa apontou que os feriados levam a uma redução de mais de 20% na taxa de transmissão da gripe entre as crianças, além de evitar mais de 16% dos casos de gripe sazonal. Por fim, o fechamento prolongado da escola durante uma pandemia pode reduzir entre 13% e 17% o número cumulativo de casos³.

Gripe ou resfriado? Entenda a diferença!

Apesar de alguns sintomas serem semelhantes, como a coriza, a tosse e a dor de garganta, essas duas patologias, gripe e resfriado são causadas por diferentes vírus.

Enquanto o resfriado é comumente associado aos vírus Sincicial respiratório (VSR), Adenovírus e Rinovírus4 — a gripe é causada pelo vírus da Influenza (A, B ou C).

A principal diferença, no entanto, está no fato de que os sintomas do resfriado costumam ser mais brandos e duram menos tempo, enquanto os da gripe podem causar dores corporais que perduram por mais dias.