O que é a imunidade humoral e por que ela é importante? [GUIA]

Imunidade
Publicado em: 24/02/2023 - 00:00:00
Imagem do post O que é a imunidade humoral e por que ela é importante? [GUIA]

A imunidade humoral é um dos principais mecanismos de defesa do sistema imunológico, uma vez que ela garante proteção dos fluidos extracelulares linfáticos (linfa) e interstício.

Adicionalmente, ela cuida do sistema circulatório (plasma) e da contaminação microbiana mediada por moléculas solúveis.

As células B atuam produzindo anticorpos ou imunoglobulinas, garantindo que o seu filho tenha uma rotina mais saudável, sem infecções virais que causam desconforto e estresse durante os dias conturbados.

Quem é mãe ou pai sabe o quanto esses problemas são comuns na rotina da criança. Por isso continue com a leitura e saiba como proteger a saúde do seu filho.

Antes de mais nada, o que é sistema imunológico?

Didaticamente, o sistema imunológico é formado por órgãos, tecidos, células e moléculas. Ele atua como um mecanismo de defesa que identifica ameaças e combate os efeitos nocivos causados por microrganismos externos e lesões. ¹

Tal processo deixa claro que outras funções biológicas, tais como a nossa pele e as lágrimas, também protegem a saúde e aumentam a eficácia das respostas imunológicas. ¹

Em resumo, o sistema imune conta com uma verdadeira tropa de choque, pois outros fatores também são responsáveis por sua proteção. Entre eles, a cicatrização, desenvolvimento de tecidos, atividade celular e metabolismo. ¹

Tendo isso em mente, sabe-se que é impossível relacionar nossas defesas a somente alguns órgãos e tipos de células. ¹

Quais órgãos fazem parte do sistema imunológico?

Uma vez que você já sabe o que é o sistema imune, o próximo passo é entender quais partes atuam em prol dessa defesa. De modo geral, temos:

  • Tecidos epiteliais: a pele é um órgão vital para a defesa do corpo pois evita a penetração de microrganismos;
  • Mucosas: tratam-se de membranas internas e úmidas que revestem órgãos e cavidades, trabalhando como barreiras de filtragem contra a ocupação de invasores no organismo;
  • Secreções: saliva, muco e suor são ótimos exemplos, que prendem e combatem elementos externos que tentam danificar nosso organismo;
  • Órgãos e tecidos do sistema linfático: são todos que operam na manutenção e transporte de células de defesa do corpo, entre elas, medula óssea, glândulas e amigdalas, popularmente conhecido como glóbulos brancos; ¹

Distribuição das células de defesa do sistema imune

Por falar em glóbulos brancos, as células de defesa do sistema imune são distribuídas em três grandes grupos, os linfócitos, leucócitos e macrófagos.

Resumidamente:

  • Linfócitos: protegem o organismo e destroem patógenos que causam infecções;
  • Leucócitos: são os glóbulos produzidos, sobretudo pela medula óssea, com foco em remover células mortas e inativas.;
  • Macrófagos: aqui temos as estruturas celulares que fazem a fagocitose, ou seja, absorvem células já danificadas, o que estimula a regeneração de seus tecidos. ¹

Qual é a função do sistema imune?

Como vimos acima, o sistema imune foca em prevenir os efeitos nocivos causados por agentes externos. ¹

Adicionalmente, ele combate microrganismos invasores, identifica a presença desses patógenos e gera uma resposta eficaz para recuperar as lesões provocadas por inflamações e infecções. ¹

Em síntese, ele mantém as defesas do organismo bastante resistentes. Para isso, procuram impedir a penetração de fungos, vírus, bactérias e germes no corpo humano. ¹

A partir daí, sua função passa a ser detectar a ameaça e implementar uma resposta adequada no organismo. ¹

Dessa maneira, concentra-se em eliminar os invasores já estabelecidos, impede a proliferação desses agentes, destrói tecidos comprometidos e promove a regeneração celular. ¹

Tudo isso resulta em mais saúde e bem-estar tanto para os pequenos quanto para os adultos. ¹

Compreendido a base deste artigo, agora, fica mais fácil entender o que é imunidade humoral. Continue conosco e tire todas suas dúvidas! ¹

O que é a imunidade humoral?

A imunidade humoral visa destruir os microrganismos extracelulares e seus produtos, como as toxinas. Em paralelo, ela previne ou reduz a disseminação das infecções intracelulares, por meio da neutralização desses agentes. ²

Nesse sentido, é válido destacar que anticorpos de alta afinidade neutralizam toxinas vírus e bactérias.

Contudo, podem não solucionar o problema, uma vez que vários agentes não são neutralizados pelos anticorpos e devem ser retirados por outros meios. ²

Nesse caso, portanto, a função dos anticorpos é acionar outras células que tenham receptor e que sejam capazes de eliminar o problema. ²

Imunidade adaptativa

A imunidade humoral tem característica adaptativa, isto é, ela permanece em constante evolução durante a nossa vida. ²

Popularmente conhecida como imunidade humoral adaptativa, ela é mais comum por meio da exposição a agentes infecciosos, permitindo que as células de defesa descubram a melhor maneira de combatê-los. ²

Tal processo ocorre quando entramos em contato com microrganismos invasores ativos ou inativos, que pode acontecer de duas maneiras, seja quando adoecemos ou por meio da vacinação. ²

Nas duas situações, nosso corpo aprende a detectar e a produzir anticorpos específicos para lidar com cada doença ou desconforto. ²

Além de tudo que falamos até aqui, é preciso destacar que o sistema imune adaptativo ainda tem outra subcategoria, que é conhecida como celular. ²

Mas, provavelmente, você deve estar se perguntando: “qual a diferença entre imunidade humoral e imunidade celular?” ²

De maneira resumida:

  • Imunidade humoral: ação de anticorpos formados por linfócitos B, que identificam e destroem invasores no organismo;
  • Imunidade celular: foca em combater os efeitos provocados pela disseminação de microrganismos invasores no corpo, retirando tais agentes infecciosos e recuperando as regiões atingidas. ²

Imunidade inata

A imunidade inata, por sua vez, é um conjunto de defesa que acompanha nosso organismo desde os primeiros dias de vida. Ele dispõe de todos os tecidos e sistemas orgânicos desenvolvidos na gestação. ²

Em paralelo, ele reúne as funções biológicas mais básicas, tais como respiração, digestão, crescimento e cicatrização.

Ademais, a imunidade inata reúne informações e anticorpos proporcionados pela mãe de duas maneiras:

  • cordão umbilical;
  • placenta na gestação ou por meio do leite materno, vital para a obtenção de nutrientes que estimulam a produção de glóbulos brancos. ²

Quer saber mais? Assista a este vídeo e entenda na prática o que é a imunidade humoral:

Como cuidar da imunidade humoral do meu filho?

Criança com imunidade baixa é um problema contornável. Para isso, estimule algumas ações durante a rotina do pequeno para driblar esse cenário. Entre as principais são:

1- Incentive a prática de exercício físico regularmente

Estimule a criança a praticar atividade física, por ao menos uma hora diária, e de intensidade moderada a vigorosa, conforme orienta a Sociedade Brasileira de Pediatria. ³

Isso é um poderoso aliado na luta contra a obesidade infantil, que impacta diretamente o desenvolvimento de algumas doenças, entre elas, diabetes e hipertensão. ³

Mas se você está se perguntando sobre “qual é o exercício mais indicado para o meu filho?”, aqui trouxemos uma lista com várias sugestões incríveis. Veja só! ³

  • Caminhar;
  • Andar de bicicleta;
  • Passear com o cachorro;
  • Jogar bola;
  • Pular corda;
  • Brincar de esconde-esconde e pega-pega³.

Contudo, a prática da atividade física não pode ser feita de qualquer forma.

Selecione um exercício que a criança tenha contato com o sol, pois essa aproximação permite absorver a quantidade suficiente de vitamina D.

Dito isso, reserve, pelo menos, 15 minutos por dia, para garantir esses benefícios, ok?³

💡Fique atento: Melhores esportes para criança: o seu filho está participando das atividades mais indicadas?

2- Cuide da higiene do sono

Crianças que têm uma boa noite de sono são mais aptas a desenvolver um sistema imune poderoso. ³

Para isso, separe entre 10 a 13 horas diárias de descanso para crianças entre três a cinco anos. ³

Já os pequenos, entre 6 a 13 anos, devem respeitar o período entre 9 a 11 horas, conforme o levantamento da Sleep Foundation. ³

Entre os principais segredos para uma boa higiene do sono, destaca-se:

  • Estabeleça uma rotina para a hora de descanso;
  • Crie um ambiente que estimule o sono;
  • Mantenha o mesmo horário para dormir e acordar todos os dias, inclusive, aos finais de semana. ³

💡Fique atento: Como melhorar o sono da criança? Descubra em 4 passos simples

3- Invista em uma alimentação saudável

Ao incentivar um cardápio variado com ingredientes dos quatro principais grupos alimentares nas refeições e lanches, você garante o fortalecimento da imunidade, o crescimento e desenvolvimento adequado da criança. ³

Em paralelo, o seu filho obtém o consumo adequado dos nutrientes necessários para o bem-estar dele, tais como zinco, ferro, selênio, vitaminas A, do complexo B, C, D e E12.³

De modo geral, estes são os grupos de alimentos indispensáveis para a rotina da sua família:

  • Pães e cereais (arroz, milho e aveia);
  • Leite e seus derivados (queijos e iogurtes);
  • Carnes e leguminosas (feijão, lentilha e grão de bico);
  • Frutas e hortaliças. ³

Ah, lembre-se de evitar bebidas, como refrigerantes, sucos de caixinha ou qualquer outra que seja pronta e adoçada. Opte pela ingestão de muita água.

Em paralelo, siga estas orientações do guia alimentar para a população brasileira.

Café da manhã

Fonte: Guia Alimentar para a população brasileira

Almoço